Vitaminas do Complexo B

Papel Imunológico, Deficiências e Fontes Alimentares da Vitamina B

As vitaminas do complexo B são um grupo de vitaminas solúveis em água (hidrosolúveis) e que desempenham importantes papéis no metabolismo das células. As vitaminas B já foram consideradas como sendo uma única vitamina, conhecida como vitamina B (assim como as pessoas se referem à vitamina C ou vitamina D). Pesquisas posteriores mostraram que elas são quimicamente distintas mas que frequentemente coexistem nos mesmos alimentos. Em geral, os suplementos que contêm todos as vitaminas B são referidos como uma vitamina do complexo B. Agora, suplementos de vitamina B individuais são referidos pelo nome específico de cada vitamina, por exemplo, B1, B2, B3 , etc.

Portanto, o complexo B compreende oito vitaminas que, apesar de distintas em sua estrutura química, assemelham-se quanto às funções nas reações do metabolismo intermediário e produção de energia. São elas: tiamina, riboflavina, niacina, ácido pantotênico, piridoxina, biotina, ácido fólico e cianocobalamina. Vamos falar de cada uma delas a seguir:

Tiamina (B1)

A tiamina está presente em importantes coenzimas envolvidas no metabolismo dos carboidratos e por isto é fundamental em reações de decomposição da glicose em energia, além de desempenhar um importante papel na condução dos impulsos nervosos. A deficiência de tiamina acarreta graves alterações no sistema nervoso e cardiovascular e sua forma mais grave é conhecida como beribéri. As principais fontes alimentares de tiamina incluem: alimentos enriquecidos ou fortificados, grãos integrais, pães e outros cereais.

Riboflavina (B2)

É encontrada no fígado, leite, rim, carnes, ovos, ostras, gérmen de trigo, nabo, beterraba, levêdo de cerveja e farelo de arroz. As leguminosas em geral constituem boas fontes. Também exerce importante papel no metabolismo de carboidratos através de funções coenzimáticas, além de atuar no metabolismos de ácidos graxos e aminoácidos. A deficiência está relacionada à ocorrência de glossite, estomatite angular, queratose, dermatite e manifestações oculares.

Niacina (B3)

Substrato para a formação das coenzimas energéticas NAD e NADP, que por meio de ações de oxirredução e metabolismo fornecem energia para as células no fígado, rim, cérebro, eritrótcitos e leucócitos. Fígado, carnes, aves, pescados, grãos integrais, pães, cereais enriquecidos e legumes correspondem à alimentos ricos em ácido nicotínico. A niacina pode ser sintetizada a partir do triptofano, um aminoácido importante na formação desta vitamina, e que é encontrado em fontes protéicas. A deficiência desta vitamina correlaciona-se a dermatites, estomatites, diarréias e, no sistema nervoso central SNC cefaléia, depressão e lapsos de memória, quadro denominado de pelagra, além de se observar delírios, alucinações e demência em pacientes graves.

Ácido Pantotênico (B5)

O ácido pantotênico tem função metabólica importante, auxiliando na produção de energia através de carboidratos, lipídeos e aminoácidos, pois está envolvido na constituição da coenzima A. Os sintomas de sua deficiência raramente são relacionados à falta desse nutriente, e não muito comum por estar presente em uma grande variedade de alimentos como aves, carne bovina, fígado, rins, batatas, cereais integrais, tomates, ovos e brócolis.

Piridoxina (B6)

Nutriente que exerce variadas funções, a piridoxina ajuda no metabolismo das proteínas, participa do processo de conversão do triptofano em niacina (Vitamina B3), da produção de hormônios, de hemácias e anticorpos, mantém o equilíbrio do sódio /fósforo no corpo e é essencial para a manutenção do funcionamento do sistema nervoso central. Portanto, a hipovitaminose pode acarretar uma série de disfunções, sendo algumas: anemia, perda do controle muscular, câimbras, fadiga, dermatites, disfunções nervosas, como irritabilidade e depressão e outras. Como fontes alimentares temos frango, miúdos, carne, porco, manteiga de amendoim, feijão preto, trigo integral, cereais e pães enriquecidos, aveia, batatas, bananas, melancia, soja, levedo de cerveja, sementes de girassol, peixes como o salmão e o atum, legumes como feijões e ervilhas, germne de trigo, arroz integral, espinafre, gema de ovo.

Biotina (B7)

A biotina, também conhecida como vitamina H, é uma molécula da classe das vitaminas que funciona como cofactor enzimático. Funciona no metabolismo das proteínas e dos carboidratos. Ela age diretamente na formação da pele e indiretamente na utilização dos hidratos de carbono (açúcares e amido) e das proteínas. Tem como principal função neutralizar o colesterol (diretamente ligado à obesidade). A sua deficiência geralmente não causa sintomas em adultos, mas pode levar ao comprometimento do crescimento e distúrbios neurológicos em crianças. A biotina pode ser encontrada através de levedura, arroz integral, frutas, nozes, ovos, carnes, leite. Também é produzida por bactérias do intestino. A carência de biotina causa furunculose, seborréia do couro cabeludo e eczema.

Continuação da matéria sobre a Vitamina B »