A Ortorexia

Sabemos que a alimentação saudável deve ser priorizada, principalmente quando o nosso objetivo é melhorar a saúde, manter o peso e investir na prevenção de doenças e na melhoria da nossa qualidade de vida. Porém, quando a preocupação com o peso, com a forma física e com a alimentação equilibrada fica excessiva, se torna uma obsessão, podem surgir os chamados transtornos alimentares. Os mais conhecidos, bulimia e anorexia nervosa, já ganharam espaço na mídia e são do conhecimento de muitos de nós. Um novo transtorno tem chamado a atenção de profissionais de saúde. É a ortorexia, distúrbio alimentar recentemente diagnosticado, que surge quando a pessoa se torna obsessiva em seguir uma dieta saudável.

O assunto ainda merece estudos, mas os portadores normalmente são fanáticos por alimentos saudáveis, examinam rótulos com especial atenção e não se permitem comer nenhum tipo de preparação que não tenha sido autorizado em seu plano alimentar. Têm dificuldade em comer alimentos preparados por outras pessoas, examinam cada parte do alimento e a forma como os que estão a sua volta se alimentam. Criticam a alimentação de outras pessoas, têm rigor excessivo no preparo de seus alimentos e dedicam horas a pesquisas sobre nutrientes.

Normalmente, o distúrbio se desenvolve após o portador ter seguido uma dieta e ter conhecido mais sobre o papel dos alimentos. Porém, a flexibilidade para o consumo dos alimentos preferidos é dispensada pela portador da ortorexia, que se nega a fazer qualquer inclusão de alimento na dieta diferente do prescrito, ainda que em situações eventuais e em pequenas porções.

A alimentação saudável e os nutrientes passam a ser o assunto preferido do portador da ortorexia, incomodando e preocupando seus familiares, colegas de trabalho e amigos. Festas, eventos, comemorações passam a ser momentos de angústias para o portador já que nestes locais são terão à disposição alimentos tão saudáveis como os que têm em casa. Desta forma, o transtorno pode levar ao isolamento social podendo trazer consequências mais sérias.

Se não for detectado a tempo e tratado, o problema pode evoluir para um quadro depressivo, à medida que a vontade de consumir outros alimentos começa a aparecer mas o consumo destes não é permitido pelo portador. Além disto, podem surgir carências alimentares múltiplas em decorrência das restrições alimentares que passam a ser auto-impostas. A dificuldade em se alimentar fora de casa, pode fazer com o que as refeições do ortoréxico sejam pobres em nutrientes, especialmente em viagens e quando há a necessidade de comer no trabalho.

É importante que estejamos atentos aos nossos hábitos alimentares e que entendamos que a reeducação alimentar deve ser o caminho de escolha para uma dieta saudável. Durante o processo de mudança de hábito é importante a inclusão de alimentos novos, o abandono das condutas alimentares indesejáveis mas também é fundamental que sejam reservados momentos para o consumo dos alimentos preferidos, desde que, com moderação.

Por: Mariana Braga Neves - Nutricionista

Leia mais sobre os Transtornos Alimentares »