Depressão Pós-Parto e a Dieta

A depressão pós-parto é um assunto que preocupa família e profissionais de saúde. Sabe-se que de 10 a 20% das mães sofrem com este problema que pode começar no primeiro mês após o nascimento da criança e persistir até após o início do segundo semestre de vida do bebê. A boa notícia é que a alimentação das mamães pode ser o ponto chave para evitar este quadro de depressão.

Além de uma alimentação rica em fibras, cereais integrais, frutas frescas, carnes magras, uma atenção especial deve ser dada aos alimentos fontes de cálcio (leite, derivados, folhosos). No cardápio que previne a depressão pós-parto, ganham destaque também os alimentos ricos em ômega 3. Esta gordura que também ajuda a melhorar a saúde cardiovascular e o sistema imune, diminui os sintomas deste tipo de depressão. As principais fontes são os peixes de água fria e a linhaça. Há ainda a opção de manipular o ômega 3 e usar as cápsulas.

As fontes de ferro, tão importantes na gestação para evitar a anemia, devem continuar fazendo parte da alimentação da mamãe. Isto porque, segundo algumas pesquisas, a suplementação de ferro pode amenizar os sintomas da depressão.

Os chamados alimentos funcionais completam o cardápio saudável. Assim, mamães não devem excluir aveia, azeite, oleaginosas, frutas cítricas, tomate, uva roxa e brócolis do cardápio.

Além dos cuidados citados, é importante que a família esteja por perto, dando incentivo à amamentação e auxiliando a mulher neste momento novo. O emagrecimento pós-parto, preocupação de muitas mulheres, deve ser gradual e saudável para evitar prejuízos à saúde.

A Nutrício possui programas nutricionais específicos para o auxílio do tratamento da depressão pós-parto. Trabalhamos também com o planejamento de refeições e criação de cardápios familiares (serviço de Personal Health disponível para todo o Brasil).

Encontre o nutricionista mais próximo de você pesquisando em nossa Rede Credenciada de Nutricionistas.

Por: Mariana Braga Neves - Nutricionista