A Difícil Tarefa de Alimentar as Crianças e a Camuflagem de Alimentos

A alimentação da criança é um dos assuntos que mais preocupa os pais e responsáveis. Em algumas famílias, a hora da refeição é uma verdadeira guerra deixando pais e filhos estressados. De uma hora para outra a criança que comia de tudo nas papinhas e vitaminas passa a escolher, recusar alimentos e a se negar a provar outros. Você passa por isso? Saiba que é normal, tem relação com a idade da criança e pode passar.

O baixo consumo de alimentos de elevado valor nutritivo como frutas, hortaliças e leguminosas é o que mais preocupa os pais. Com razão. Esses alimentos oferecem vitaminas e minerais que são essenciais para um bom desenvolvimento. Preocupados, os pais começam a recorrer à técnica de camuflagem de alimentos que consiste em misturar o que é recusado em outras preparações de boa aceitação. Está errado? Esse é um assunto que divide opiniões. Na visão da nutricionista Mariana Braga Neves, coordenadora da Nutrício, a camuflagem pode ser uma opção em alguns momentos. “O principal é garantir a nutrição da criança. Em alguns momentos, é melhor usarmos a estratégia da camuflagem e, simultaneamente, iniciarmos um processo de educação nutricional com pais e com a própria criança. Esse processo pode ser demorado para algumas crianças. Não vale desistir mas também não é possível esperar meses e meses para a criança aprender a comer uma fruta. Enquanto a educação nutricional vai acontecendo, vale mascarar os alimentos para melhorar a qualidade nutricional da dieta da criança sim”, diz Mariana.

A educação nutricional deve ser criada de acordo com a faixa etária do seu filho. “A criança começa a escolher os alimentos, selecionar sabores, por volta de 1 ano de idade. É exatamente nessa idade que o cuidado deve ser redobrado no sentido de apresentar aos pequenos os alimentos corretos e saudáveis e de diferentes formas. Uma criança que não gosta de tomate por exemplo pode amar um molho feito com o alimento e colocado em um macarrão. Crianças que pegam gosto por guloseimas nessa idade podem ter dificuldade em abandoná-las”, reforça a nutricionista.

Nos primeiros anos de vida a criança aprende por imitação. Isso explica por que é tão importante o exemplo dos pais e irmãos mais velhos. Pelo mesmo motivo a educação nutricional deve ser aplicada também na escola. Professores e coleguinhas são também exemplo para seus filhos. É muito comum a criança comer bem no lanche escolar e se recusar a consumir alimentos saudáveis em casa. Mais um motivo para que os outros integrantes do lar participem do processo nutricional sendo espelho para os pequenos.

Criança tem que saber o que está comendo mas tudo depende da faixa etária. “Não adianta falar para uma criança de 2 anos que o prato precisa ser colorido ou que o espinafre tem ferro para ela crescer. Ela não compreende ainda essas informações. Esse é o tipo de conversa que podemos ter com crianças com mais de 5 anos. Por volta dos 2, 3 ou até 4 anos, além do exemplo, vale usar a imaginação, criando figuras com alimentos (Food Art) e tornando a refeição divertida. A criança, nessa idade, gosta de super-heróis, princesas, está no auge da imaginação. A alimentação precisa acompanhar. Histórias e contos envolvendo alimentos podem ajuda mas essa técnica não funciona para todos. Como na fase de 1 a 3 anos a criança está descobrindo o mundo, pode acontecer uma falta de concentração para as refeições, além das recusas frequentes. Não vejo problema em mascarar alimentos até que seja possível fazê-la gostar de determinados ingredientes”, finaliza a nutricionista Mariana.

Muito importante é a paciência dos pais. Também é fundamental que os alimentos sejam apresentados várias vezes à criança, de diferentes formas. Por exemplo: uma cenoura ralada crua pode não ser bem aceita mas os pais podem fazer um nutritivo suco com esse alimento e laranja. O souflê de cenoura também costuma ser bem aceito.

A Nutrício possui programas nutricionais específicos para as crianças. Trabalhamos também com o planejamento de refeições e criação de cardápios familiares (serviço de Personal Health disponível para todo o Brasil). Encontre o nutricionista mais próximo de você pesquisando em nossa Rede Credenciada de Nutricionistas.

Leia também Dicas para Camuflar Alimentos Enquanto Fazemos a Educação Nutricional da Criança »