Rede Nutrício de Atendimento de Nutricionistas
Home » Matérias sobre nutrição » O café

Café: Mocinho ou Vilão

Puro, com creme, com leite, em preparações como bolos, pudins, sorvetes, balas...

Desde o século XVIII o café começou a fazer parte da vida de milhões de pessoas. Mas quem nunca ouviu falar que o consumo de café interfere na absorção do cálcio e pode acelerar a osteoporose? Ou que o café está associado a males do estômago, à agitação e pode causar dependência?

O fato é que hoje, diversos grupos de pesquisadores têm mostrado que o café não é tão "vilão" assim. Apenas no ano de 2007 o café foi a planta com maior número de publicações positivas na área médica em todo o mundo, o que contrasta com 20 ou 30 anos atrás, quando liderava as críticas negativas.

Pesquisas recentes têm mostrado efeitos positivos do café.


A bebida pode reduzir o colesterol, auxilia no combate a doenças coronarianças, proporciona efeitos antidepressivos, reduz o risco do Mal de Parkison, protege contra o diabetes do tipo 2, desenvolve ação antioxidante e auxilia na prevenção de alguns tipos de câncer (cólon e reto).

Em pacientes alcoólatras o consumo de café ajuda a manter a remissão do alcoolismo, evitando um grave problema, a cirrose.

E não para por aí. Os resultados das pesquisas mostram que o efeito benéfico é maior do que se pensa. Estudos dizem que crianças que tomam café com leite uma vez ao dia têm menos chance de desenvolver depressão do que aquelas que não consomem a bebida e que substâncias presentes no café podem prevenir demências e Alzheimer.

Mas cuidado... café sempre com moderação.

Em quantidades moderadas - o equivalente a 400-500 mg/dia - dose de até 4 xícaras - a cafeína não é prejudicial a saúde humana, desde a gestação até o final da vida, mas é importante estar atento aos malefícios que o consumo excessivo do café pode causar. Existem pessoas que são mais sensíveis aos efeitos de um dos compostos do café, a cafeína, as quais podem apresentar ansiedade, tremores, insônia e mesmo um quadro de pânico.

As gestantes também não devem consumir o café em excesso visto que o uso abusivo poderá prejudicar na formação do feto.

Pessoas que possuem doenças como gastrite, doença do refluxo gastroesofágico, úlcera péptica, palpitações devido arritmias cardíacas, hipertensão arterial ou doença isquêmica do coração devem ter cuidado no consumo de café, pois ele pode agravar os sintomas ou a doença, principalmente se consumido em excesso.

O café possui pouquíssimas calorias, por isso, ele não é um problema para quem deseja emagrecer. Porém se este café for adoçado com açúcar, as calorias vão aumentar.

Como não há uma comprovação sobre o assunto, o ideal mesmo é ter moderação. E cuidado com o açúcar.

Texto: Daniela Abrahão - nutricionista