Alimentação na Quimioterapia

Frituras

Há, porém, algumas normas gerais que podem ajudar o paciente a se preparar para esse período. Para evitar o agravamento de enjoos, náuseas e diarreias, um dos cuidados é evitar o excesso de frituras. Para qualquer pessoa, alimentos fritos não devem ser uma rotina no cardápio: recomenda-se que as frituras sejam consumidas no máximo duas vezes por semana e que elas sejam preparadas em óleo não utilizado anteriormente. O óleo reutilizado produz substâncias que irritam o aparelho digestivo e podem ser mais um fator de agressão para quem já está sofrendo com náuseas ou diarreia em função de um tratamento quimioterápico.

As frutas cítricas só devem ser evitadas se, durante o tratamento quimioterápico, o paciente se queixar de muita azia, náusea, estomatite, ou quando tiver refluxo gastroesofágico, que é a sensação de que a comida está voltando para a boca.

É preciso estar sempre atento à ocorrência de diarreia ou constipação. Em caso de diarreia, deve-se evitar alimentos gordurosos, consumir vegetais cozidos sem casca e abolir condimentos fortes. Bebidas como café, chá-preto ou mate e bebidas alcoólicas também são contraindicadas. Para a constipação, ou intestino preso, o caminho é dar preferência para alimentos vegetais crus, suplementando a alimentação com cereais integrais, granola ou farelo de trigo, que podem ser acrescentados ao suco, leite ou sopa.


Continuação da matéria sobre os Alimentos que Reduzem os Efeitos Colaterais da Quimioterapia »

Voltar para a 1ª parte dos Os Alimentos Que Reduzem os Efeitos Colaterais da Quimioterapia »