Como se Alimentar Bem Fora de Casa

Muitas pessoas perguntam hoje qual a importância de se possuir um cardápio balanceado. Além dos vários benefícios à saúde, uma das coisas que vem se tornando importante nos últimos tempos é a praticidade. Comer bem não significa passar horas na cozinha. Cada vez mais há à disposição, opções de lanches práticos e de empresas preocupadas em oferecer alternativas saudáveis para quem se preocupa com a boa alimentação. Confira a entrevista com a nutricionista Daiane do Carmo Corrêa Bellico, que prestou o serviço de Consultoria Nutricional a um restaurante em Belo Horizonte, MG pela Nutrício.

1. As pessoas falam muito da ligação entre qualidade de vida e alimentação saudável. De forma geral o que não pode faltar na alimentação de quem quer aumentar a qualidade de vida por meio de um cardápio balanceado?

Daiane: Basta seguir o principio básico da variedade, moderação e equilíbrio, fazendo com que todos os nutrientes sejam obtidos sem que haja aumento do peso. Portanto, aposte nos pratos coloridos, além de atrativos, garantem a variedade. Não deixe de consumir, sempre que possível, um representante de cada grupo de nutriente. Faça de 5 a 6 refeições por dia. Nunca menos que quatro. O jejum prolongado faz muito mal. Não fique mais de quatro horas sem ingerir algum alimento. Lembrando que o ideal é comer de três em três horas. Intercale carne vermelha e carne branca. Não deixe de comer nenhum dos dois tipos. Beba bastante liquido, porém evite grandes quantidades durante as refeições.

2. A correria diária nos impede de comer em casa, muitas vezes. É possível comer bem fora de casa, alimentando-se em restaurantes por exemplo? De que forma?

Daiane: Sim, com certeza. Nos restaurantes a variedade de alimentos oferecidos é imensa. Portanto, basta ter cuidado, apenas na hora de montar o prato. Procure ver todas as opções antes, e evite pegar um pouquinho de cada coisa para não exagerar na quantidade de comida. Escolha sempre um alimento de cada grupo. Uma porção de salada, de legumes, de cereais e de proteína. É importante estar atento para não exagerar nos alimentos do mesmo grupo. Por exemplo: dois carboidratos (arroz e macarrão) ou duas proteínas (carne e ovo). Lembre-se sempre que os legumes e verduras são as opções mais saudáveis, ao contrário dos molhos muito incrementados ou cremes, pois costumam ser altamente calóricos.

3. Os restaurantes de gastronomia saudável são opções para quem quer comer bem fora do ambiente familiar. Como foi realizado o trabalho nutricional no restaurante em BH?

Daiane: Cada vez mais as empresas do ramo alimentício têm se preocupado em unir saúde e sabor em seus pratos. A proposta do restaurante era é exatamente esta. Ter contado com um nutricionista no processo de montagem da unidade de alimentação e na elaboração do cardápio fez a maior diferença na qualidade nutricional do que é servido. Diante da preocupação em oferecer preparações mais saudáveis, o trabalho foi realizando visando à reeducação alimentar, com um serviço de alimentação inovador, desenhado sob medida. Com pratos de baixa caloria, alto valor nutricional, saborosos e “frescos”. A maioria dos pratos são preparados no momento do pedido pelo cliente, não ficando expostos, o que garante a qualidade nutricional e microbiológica dos mesmos. O restaurante contava com uma equipe de profissionais altamente treinada e com um cardápio variado para o serviço de buffet, delivery e lanchonete. A linha de sanduíches e saladas foram testadas para que os clientes possam ter acesso ao valor calórico dessas preparações e também se deliciar com pratos extremamente saborosos, saudáveis e de baixo valor calórico.

4. Sugira dicas de alimentação saudável para quem precisa fazer as refeições fora de casa (sugestões de lanches por exemplo)?

Daiane: Para o café da manhã : Suco de fruta natural + salgado assado (sfiha de carne, cachorro quente assado, pão de queijo, joelho de moça) OU vitamina de fruta com aveia; Para os intervalos: Sucos naturais ou saladas de frutas ou iogurtes ou barras de cereais; Para o almoço: Saladas, arroz ou substitutos (lasanha vegetariana ou canelone com tomate seco e ricota ou espaguete integral com legumes, massas em geral), leguminosas (feijão, lentilha) + Carne grelhada ou assada; Para o lanche da noite: Sanduíches e sucos naturais.

5. Muitas pessoas têm fome no período da noite. É melhor jantar ou lanchar? Que opções a pessoa pode ter para a refeição da noite, unindo sabor e saúde?

Daiane: Não há problema algum em jantar ou lanchar, desde quando ambos sejam compostos por carboidratos, proteínas, vitaminas, minerais e fibra. Para quem desejar jantar, a refeição deve ser composta por uma porção de carboidratos (arroz, macarrão, batata, etc), uma de proteína (carne ou ovo), lembrando que as carnes brancas e grelhadas são mais indicadas, devido ao baixo teor de gorduras e melhor digestibilidade. Sirva- se a vontade de vegetais e para a sobremesa opte por uma fruta cítrica. Se for lanchar a regra é a mesma. Portanto, prefira sanduíches com pão integral, vegetais (tomate, alface, palmito, cenoura ralada) queijo branco, carne grelhada; evitando sempre os molhos industrializados, e para acompanhar, suco de frutas. Se esse lanche for realizado em uma lanchonete, prefira sempre salgados assados, em vez de fritos ou folhados; sucos e vitaminas ao invés de refrigerantes; fruta seca e picolé de frutas ao invés de doces muito elaborados.