Rede Nutrício de Atendimento de Nutricionistas
Home » Matérias sobre nutrição » Alimentação na prisão de ventre

Orientações Nutricionais para a Prisão de Ventre

Nada mais desagradável do que o intestino preso. A obstipação ou constipação intestinal, mais conhecida como prisão


de ventre, pode ter diversas causas sendo necessária uma avaliação médica para verificar se não alguma doença por trás deste problema.

Na maioria das vezes, o intestino preso é fruto de uma dieta inadequada, pobre em fibras, com baixa ingestão de líquido e que soma-se ao sedentarismo para causar o problema.

A constipação define-se não somente como a baixa freqüenta das evacuações mas também como uma dificuldade para evacuar, com um esforço excessivo, fezes duras e sensação de não ter evacuado o suficiente.

O controle alimentar é o primeiro passo para a correção do

problema. Selecionamos algumas dicas que podem ajudá-lo a melhorar o funcionamento do intestino:
Aumente o consumo de água. Consuma no mínimo de 8 a 10 copos por dia;
Substitua alimentos refinados por integrais como pães, arroz, biscoitos e macarrão;
Selecione melhor as frutas que você usa: mamão, ameixa, manga, laranja, melancia, são sempre boas opções. Evite a goiaba e a banana prata;
Utilize a linhaça na vitamina. A linhaça deve ser adquirida inteira e liquidificada na hora de usar;
Faça de 5 a 6 refeições por dia, se alimentando de 3 em 3 horas, em pequenas quantidades sem esquecer das principais refeições. Mastigue muito bem os alimentos;
Aumente o consumo de verduras, legumes e frutas. Estes são ricos em fibras, importantes para um bom funcionamento intestinal;
Consuma iogurte, coalhada ou leite fermentado diariamente;
Consuma frutas de preferência com casca e bagaço;
Faça atividade física regularmente. Este ajuda a manter bons movimentos do peristaltismo intestinal;
Estabeleça horários regulares para ir ao banheiro, sendo estes em momentos tranquilos;
Controle o estress e a ansiedade. Muitas pessoas que apresentam crises de cosntipação intestinal durante estes momentos.


Melhorar a flora instetinal é um caminho não só para corrigir o funcionamento do intestino como também para evitar doenças. A nossa flora atua como mecanismo de defesa, protegendo nosso corpo. Neste processo, os pré e probióticos são nossos alidados.

Os prebióticos são substâncias não digeríveis pelo organismo humano e que, por isto, chegam ao nosso instestino intactas sendo fermentadas pelos microorganismos lá presentes. Este processo gera uma série de benefícios ao organismo tais como:

Ajuda na manutenção da flora intestinal;
Melhora o sistema imune;
Estimula a motilidade intestinal (trânsito intestinal);
Contribui com a consistência normal das fezes, prevenindo assim a diarréia e a constipação intestinal;
Pode auxiliar na diminuição do colesterol e triglicérides;
Possui efeito bifidogênico, isto é, os prebióticos estimulam o crescimento das bifidobactérias. Essas bactérias suprimem a atividade de outras bactérias que são putrefativas, que podem formar substâncias tóxicas.


Na alimentação, são encontrados em alimentos como chicória, cebola, alho,alcachofra, banana, batata Yacon. Este último alimento, rico em inulina, um conhecido prebiótico, tem sido indicado para controle dos níveis de glicose sanguíneo. Outro alimento que faz parte do grupo é a banana verde, rica no amido resistente, também prebiótico.

A indústria também disponibiliza alimentos que tiveram os prebióticos adicionado a suas formulações. Outra opção é o uso de prebióticos em saches. O nutricionista poderá prescrever se for o caso.

Já os probióticos, (derivado do grego a palavra significa pró-vida), são alimentos que contém microorganismos vivos que quando ingeridos em determinada quantidade, apresentam efeito benéfico sobre a saúde e bem estar do hospedeiro, por estimular o crescimento e atividade de bactérias benéficas. Isso é importante porque um desequilíbrio na microbiota intestinal interfere no aproveitamento de vitaminas e nutrientes, aumenta os problemas intestinais e o risco de cânceres.

Os probióticos possuem diversos benefícios como: atividade anticarcinogênica, agem melhorando quadros alérgicos alimentares e intolerância à lactose, auxiliam na redução do colesterol, melhoram o funcionamento intestinal, evitam a prisão de ventre, fortalecem o sistema imunológico. A indústria dispõe de produtos ricos em probióticos como os leites fermentados e diversos tipos de iogurte. Além disto, os probióticos podem ser manipulados para consumo em sachê ou cápsulas.

O consumo destes alimentos deve ser associado a uma dieta equilibrada, pobre em gorduras saturas e trans, rica em líquidos e em alimentos como frutas, vegetais, cereais integrais, leguminosas, carnes brancas e magras.

A Nutrício possui programas nutricionais específicos para a prisão de ventre. Trabalhamos também com o planejamento de refeições e criação de cardápios familiares (serviço de Personal Health disponível para todo o Brasil). Encontre o nutricionista mais próximo de você pesquisando em nossa Rede Credenciada de Nutricionistas.

Por: Mariana Braga Neves (nutricionista e editora deste site) & Emanuelle Vieira (nutricionista em Ouro Branco, MG)

Saiba mais sobre a Constipação Intestinal »

Menu Principal

Menu de Serviços

Pesquisar no Site


Publicidade